Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O problema das férias...

por Neurótika Webb, em 11.08.15

O problema das férias, além de estar a trabalhar, mas a cabeça ainda não ter saído do modo de férias, é parar.

Parar e ser obrigada a pensar. A reavaliar. A fazer balanços.

E, descobrir que estou farta da vida que tenho.

O mais bonito é que todas as pessoas que me conhecem acham que eu tenho uma vida invejável e glamorosa, cheia de eventos, viagens, pessoas interessantes e amigos ainda mais interessantes...

E eu?

Eu trabalho 11 horas por dia, numa rotina infindável, num trabalho que muitos gostavam de ter, mas que é um trabalho igual aos outros, que se torna rotineiro e enfadonho. Fins de semana sem sair de casa, não porque não tenha onde ir, mas porque tenho saudades de estar em casa, passo tanto tempo fora dela. Um relacionamento arrumado e parqueado, que é bom às vezes e outras nem sei.

E eu?

Fechada e hermética, forte e a desfazer-me por dentro, estagnada e apática, não sei se morta se viva...às vezes sinto que deixei de respirar.

E o pior, é chegar à conclusão que fiz isto a mim própria.

 

 

 

publicado às 17:01


25 diagnósticos

Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 12.08.2015 às 12:14

Eu acho que quase todas as mulheres o mesmo problema, nós colocamos muitas expetativas em tudo, porque quando lhe preparamos uma surpresa tratamos de tudo ao ínfimo detalhe, qual a conclusão, quase sempre eles não valorizam, algumas vezes, quando não é todas, estragam a surpresa, tentamos fazer algo diferente e levamos com um balde de água fria.
Depois quando esperamos que eles nos façam algo do género, o que acontece? Eles são incapazes de o fazer, ou fazem-no de ano a ano e quando fazem uma coisa fantástica acham que isso lhes dá créditos para a eternidade.
Normalmente só existem dois tipos de homens que acertam nas surpresas os que têm culpa no cartório e se querem redimir ou os que têm falta de sexo e tentam por tudo que as mulheres os compensem.
Ou seja, ou os tratamos mal para eles nos darem atenção ou damos-lhe rédea solta para eles voltarem arrependidos.
Como em tudo quem se porta bem não recebe recompensa.
Algumas mulheres têm a arte de manipularem os homens a fazerem tudo o que elas querem, mas normalmente os homens a quem se consegue fazer isso são desinteressantes e até um pouco burros.
Conclusão se queremos homens interessantes, cultos e independentes temos de levar com a pressão de sermos perfeitas.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.08.2015 às 12:24

posso-te dizer que já tentei um desses, que me adorava e me punha num pedestal...no final ficou azedo, dizia que eu tinha a mania que sabia tudo (parecia que tinha a culpa de ser inteligente e de ter crescido numa familia de intelectuais) e odiava que eu ganhasse muito mais que ele.
resumindo, traiu-me com uma gaja tipo sopeira, uma enfermeira baixinha, loura, burra, mas com um grande par de mamas, saída directamente do filme instinto fatal...que nos perseguia, conseguiu o meu número de telemóvel e ligava-me a infernizar-me o juízo para o deixar....resumindo, deixei mesmo, achei que merecia melhor.
este, era aquele que no primeiro ano me surpreendia de todas as maneiras e feitios, parecia um filme romantico de Hollywood. Quando fezum ano, puff!, parecia que tinham desligado um botão e acabou tudo.
eu pergunto-me é até quando vou conseguir viver só com as memórias desse primeiro ano?
Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 12.08.2015 às 12:35

A mim foi mais ou menos isso, durante os primeiros tempos arranjava sempre forma de me surpreender e agradar, posso dizer que a fase da paixão durou mesmo vários anos, depois acomodou-se, quando casamos o primeiro ano, ano e meio voltou a ser romântico mas depois com a rotina as coisas voltaram a ficar mornas.
No entanto, é nas pequenas coisas que vejo o amor que tem por mim, gestos que parecem simples mas que demonstram imensa preocupação e proteção. Por outro é o facto de fazer algumas coisas que tanto me irritam que me faz ter a certeza que o amo, se não amasse não me iria importar.
Ficar mais feliz do que eu pelas minhas conquistas é das coisas que mais valorizo nele.
Os homens têm um problema quando acham que estamos conquistadas desleixam, relaxam.
Esquecem-se que a relação tem de ser alimentada todos os dias ou delegam isso apenas para nós. Cromos.
Eu não digo que os que nos tratam sempre como princesas em 99% das vezes têm algum problema.
Essa sopeira havia de me ver rodar a saia. Que doente credo.

Comentar neurose



Neuroses

Neuroses

Fovias

Manias

Insonias

OS OUTROS BLOGS



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.