Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O problema das férias...

por Neurótika Webb, em 11.08.15

O problema das férias, além de estar a trabalhar, mas a cabeça ainda não ter saído do modo de férias, é parar.

Parar e ser obrigada a pensar. A reavaliar. A fazer balanços.

E, descobrir que estou farta da vida que tenho.

O mais bonito é que todas as pessoas que me conhecem acham que eu tenho uma vida invejável e glamorosa, cheia de eventos, viagens, pessoas interessantes e amigos ainda mais interessantes...

E eu?

Eu trabalho 11 horas por dia, numa rotina infindável, num trabalho que muitos gostavam de ter, mas que é um trabalho igual aos outros, que se torna rotineiro e enfadonho. Fins de semana sem sair de casa, não porque não tenha onde ir, mas porque tenho saudades de estar em casa, passo tanto tempo fora dela. Um relacionamento arrumado e parqueado, que é bom às vezes e outras nem sei.

E eu?

Fechada e hermética, forte e a desfazer-me por dentro, estagnada e apática, não sei se morta se viva...às vezes sinto que deixei de respirar.

E o pior, é chegar à conclusão que fiz isto a mim própria.

 

 

 

publicado às 17:01


6 diagnósticos

Sem imagem de perfil

De [Mad]emoiselle O a 11.08.2015 às 18:50

Ia dizer uma frase cliché. Mas isso não ia mudar em nada o teu estado , ia ser estúpido e estarias no pleno direito de me mandar à merda.
Por isso só tenho a sugerir que exista álcool no dia 20
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 11.08.2015 às 18:53

isso sim, é uma ideia fantástica!
Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 12.08.2015 às 11:26

Isso é sinal que durante o ano andas tão ocupada que não tens tempo para pensar na vida. Isso pode ser muito mau porque quando tens é uma avalanche de pensamentos.
Estás numa encruzilhada, não sei é possível, mas se for faz um retiro, uns dias só para ti para te centrares em ti e perceberes o que é melhor para ti.
Temos tendência a culpar os outros pela nossa infelicidade, estive há uns meses assim mais ou menos como tu e achei que a culpa era do meu marido, mas não era, era minha.
Se tive coragem de mudar de rumo, vou ser sincera não tive, mas cheguei à conclusão que não existem vidas perfeitas e que nunca estamos totalmente felizes, a sabedoria é sermos felizes com o que temos, já que mudanças implicam sempre uma escolha e com isso vem o custo de oportunidade, que na maioria das vezes não compensa.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.08.2015 às 11:32

o retiro fiz eu agora...fui pró campo descansar. E olha o lindo serviço!
eu percebo perfeitamente o que dizes, mas sinto que já tentei tudo, estou a ficar sem forças. cada vez que tento mudar qualquer coisa, esbarro contra uma parede.
mesmo antes de ir de férias tentei uma "coisa diferente", à laia de despedida....acabou comigo no carro a chorar, como de costume.
já não sei que faça....estou exausta
Sem imagem de perfil

De Língua Afiada a 12.08.2015 às 11:37

Sinceramente não sei o que te escrever. Estas situações são muito complicadas. A única coisa que te aconselho é calma e prudência, o que menos precisas é de uma atitude precipitada.
Podes tentar falar com ele e tentar ver qual a opinião dele sobre a relação, às vezes queremos as mesmas coisas e não sabemos como sintonizar na mesma frequência
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.08.2015 às 11:44

sabes qual é o problema disto tudo? é que este homem é o amor da minha vida.
o que me irrita é que parece que eu estou sempre em último nas prioridades dele...mas quando é bom, é mesmo muito bom!
sabes aquela pessoa que te complementa em tudo? que te atura o mau feitio? aquele homem que acha graça quando tu sabes mais que ele acerca de determinado assunto e não se sente ameaçado? que te apoia e delira com as tuas conquistas? é ele! Mas em versão frigorífico....

dar diagnóstico:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



Neuroses

Neuroses

Fovias

Manias

Insonias

OS OUTROS BLOGS



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.