Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Como se mede a inteligência?

por Neurótika Webb, em 26.08.15

Uma senhora escreveu que "a inteligência é inversamente proporcional à beleza".

 

Como se pode constatar, esta frase deve ter sido escrita por uma pessoa feia!

 

Aliás, quando se tem que justificar perante si próprio e perante os outros, esta injustiça do destino (ou da genética), nada melhor que a frase "não sou bonito, mas sou inteligente", como se fosse um pecado capital nascer-se belo e inteligente. Assim sendo não havia pessoas feias e....menos inteligentes.

 

É um bocadinho como defender as manequins super gordas, dizendo que são "mulheres reais", advogando assim a obesidade e as doenças a elas associadas. É muito mais fácil do que fechar a boca e meter-se num ginásio.

 

Não consigo compreender esta mentalidade. Como já escrevi, os meus vizinhos estão a mudar, de repente há imensa gente nova, na casa dos 20...e todos giros, eles e elas. O meu namorado olha prás miúdas? Claro que olha! Mas eu também olho. Ainda assim, prefiro viver rodeada por gente bonita do que por gente feia. Por muito que eu goste da minha vizinha do rés-do-chão, que é uma velhinha super fofa, é mais agradável olhar para um rapaz bronzeado e musculado com uma toalha ao ombro, que vai em tronco nu para a praia, é esteticamente muito mais agradável.

 

Graças a Deus, não há verdades absolutas e esta equação matemática não tem fundamento, e é um prazer ver este mundo cheio de pessoas lindas, maravilhosas, inteligentes e cultas.

 

A inveja é de facto uma coisa muito feia!

 

Taylor-Momsen-art-taylor-momsen-35919902-512-750.j

 

 

publicado às 14:50


25 diagnósticos

Imagem de perfil

De marrocoseodestino a 26.08.2015 às 15:34

Todos têm direito à vida, feios e bonitos, mas claro que é bem mais agradável a beleza.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 15:53

Claro que sim...mas dizer que a beleza é inversamente proporcional à inteligência, é teoria de gente feia...feia por fora e por dentro!
Imagem de perfil

De Mula a 26.08.2015 às 18:14

Espero que saibas que eu estava na tanga com o Varoufakis... e ofender os outros sem se conhecer também não me parece bonito ou inteligente
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 18:24

é muito fácil ofender-se os outros primeiro e depois dizer que estava a brincar, no entanto pareceu-me um bom tema...lá dizia a minha avó, quem diz o que quer arrisca-se a ouvir o que não quer!
Imagem de perfil

De Mula a 26.08.2015 às 18:29

Nunca pensei que um comentário acerca da inteligência do ator das 50sombras de grey fosse ser motivo de conversa e até um post , isso é dar me demasiada importância... Não estou habituada. Mas sabes que quando se tiram frases de contexto perde se a meada. O Varoufakis chamou gay ao Mr . Gray que é tão amado e desejado e também pode ser altamente ofensivo "só por ser giro e rico, é gay?" não vejo um post sobre isso. Mas fica aqui a ideia.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 18:53

lá está...são tudo ideias pré-concebidas. é por essas e por outras que nós mulheres temos que trabalhar o triplo dos homens. Se se é bonita, é-se burra, a saída é trabalharmos que nem umas condenadas e tornamo-nos umas autênticas cabras.
o ser giro e ser rico, ser igual a ser gay...é dor de cotovelo!
Imagem de perfil

De Mula a 26.08.2015 às 19:15

Peço-te que voltes a ler o meu comentário, eu falo explicitamente na minha experiência com os homens e algumas mulheres. Nunca leste nada meu a dizer que pessoas bonitas por fora são burras, ou vice versa, nunca eu disse tal barbaridade. Disse sim que os homens bonitos que de mim se aproximavam eram ocos da cabecinha, e basta veres secret storys e afins para veres que essas espécies existem e que não estão em vias de extinção. O meu comentário refere que só queria o Mr. Gray para a fotografia, porque com a minha sorte seria mais um oco... Por isso te dizia que quando as coisas são tiradas de contexto soam mal... E se dissesse o que realmente disseste que eu disse (jisus que confusão) contra mim falaria, já que durante anos só se aproximavam de mim pelo meu corpo estando se a marimbar para a minha personalidade... Acredites ou não, entendeste tudo errado...

Podia ter optado por ter lido e ignorado. Poucos saberiam a quem te referias, e a coisa morria por aqui, mas odeio mal entendidos. Podem dizer tudo de mim, que não gostam de mim que eu sou feia, burra e afins, mas dizerem que disse coisas que na realidade não disse é que não... E não é querer fazer beicinho mas fazendo um bocadinho, fiquei triste!
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 21:32

Não estou pra me chatear com ninguém, mas estas coisas irritam-me, talvez porque trabalhei que nem uma condenada para conseguir chegar onde queria. Era uma aluna de 20 e uma excelente profissional, e por muito que me esforçasse, ouvia sempre bocas por causa do meu aspecto. Resultado, tive que me tornar uma cabra, não há cá sorrisos nem simpatias, é só trabalho. Se leres alguns dos meus posts, aqui no trabalho chamam-me a rainha do gelo...mas pensam que eu não sei!
Não faças beicinho...que este post também fui eu a fazer beicinho.
Imagem de perfil

De Mula a 26.08.2015 às 22:02

Nunca tive um emprego muito importante na minha vida, apesar de ser licenciada, e andar a lutar há alguns anos para entrar na área de RH, nunca me deram qualquer oportunidade, por isso não sei propriamente o que é lutar num emprego para que sejam ouvidas as nossas opiniões e afins.

Mas sei o que é ser discriminada no trabalho por ser mulher, e por ter corpo avantajado (hoje em dia devido a descuido, nem tanto, mas já tive e é o que importa). Já me disseram (nas costas claro, que gente desta de frontalidade tem zero) que eu só tinha sido promovida por ter as mamas grandes (como se o meu trabalho valesse 0, o que não era, de todo verdade), já tive de me despedir por acharem que por ser mulher e ser secretaria que iria ser uma Lewinsky, e também infelizmente percebi que para se trabalhar no meio de homens temos que ser realmente más... Já tive de gerir uma equipa de cerca de 7 homens, e o único sorriso que dei a um, tive que levar com um convite para sair. Infelizmente ser mulher, não é apenas ter o período uma vez por mês e ter um filho ou outro na vida, é muito mais que isso...

Por isso, desculpa, se em algum momento te ofendi, a ti ou a outro alguém, mas não era o pretendido. Não sou uma gaja que gosta de ofender gratuitamente, porque dentro do meu brejeiro, gosto de ter classe.

E pronto, é isto, não me alongo mais, que esta história portuguesa quase virou mexicana, faltando apenas o gémeo separado à nascença e o triângulo amoroso!

Btw, tirando este post, gosto do teu blog, já o sigo há algum tempo (algum dentro dos possíveis, que sou nova por estas bandas dos blogs)!
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 22:48

Às vezes levo as coisas um bocadinho à peito, mas não te enganes, gerir mulheres é 10 vezes pior, infelizmente. Deixam-me tão triste sermos tão mázinhas umas prás outras.
E este país é uma lástima nesse sentido. Como disse num comentário anterior, fui tramada recentemente por uma fulana...o que me dá um certo gozo é saber que o tempo me vai dar razão!
Mas não nos devíamos apoiar umas às outras?
Portanto, gordas, magras, bonitas, menos bonitas....qualquer uma de nós é mais inteligente que qualquer homem!
Olha, obrigada por me seguires...um beijinho grande!
Imagem de perfil

De Varufakis a 27.08.2015 às 00:34

Ahahah... Boa temática.
Eu disse que gajo era Mr. Gay não por ser bonito ou feio, mas sim porque era soft
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 26.08.2015 às 15:43

Mas é um pecado capital ser-se bonito e inteligente, não sabias?

A questão da beleza e da inteligência é um antigo e falso problema. Há umas heurísticas cognitivas, que estabelecem relações entre traços físicos e atributos que se designam de teorias implícitas da personalidade. Basicamente aprendemos que o aspecto físico do mundo está ligado aos seus atributos e essa ideia é internalizada no processo de socialização.
A mais comum é que o que belo é bom. E que o feio é intelectual.
Na verdade, não são as pessoas bonitas que são consideradas inteligentes, mas o bonito sobrepõe-se como sendo desejável e primário, relativamente à inteligência, sendo que apenas os menos atraentes têm apenas um reduto: serem intelectualmente mais desenvoltos.
Há mais heurísticas destas, que sendo atalhos cognitivos são activados de forma imediata, quando comparados com o processo de racionalização que envolve competência e motivação, por exemplo. Por isso preferimos rodear-nos do que é belo, jovem, atraente. Transmite-nos percepções imediatas de bem-estar.

O triste é não conseguirmos ir além desta realidade. Aceitá-la é uma coisa. Agir de acordo com a mesma é pior. Especialmente quando não somos capazes de ver que do nosso lado há menos desejabilidade do que lado oposto... And I rest my case!

(Acho que não está claro, mas estou a concordar com a tua perspectiva, ok???)
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 15:58

eu percebi! :)

já viste aquele estudo sobre a beleza? o cérebro interpreta a beleza segundo padrões de simetria e proporção. quanto mais simétrica e proporcional fores, mais bonita pareces aos olhos (neste caso cérebro).

assim sendo, a Tyra Banks, que é uma das mais bem sucedidas empresárias dos Estados Unidos, tem que ser forçosamente burra!
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 26.08.2015 às 16:04

Mas o belo é bom. Por isso, commumente as pessoas mais bonitas são mais bem sucedidas, são-lhes oferecidos posições mais elevadas e têm um rendimento mais elevado (em culturas mais individualistas e meritocracistas isso é mais evidente).
Uma curiosidade é que as pessoas mais altas ganham mais dinheiro que as mais baixas. Pensa-se que esse avanço genético cria condições para se destacarem desde cedo, conduzindo sempre a contextos que lhes aumentam, cumulativamente, a vantagem.

Eu gosto muito de um autor que condensa vários contributos para explicar como o contexto, por vezes, dita mais o sucesso, que os próprios atributos dos indivíduos. Provavelmente conheces: Malcolm Gladwell (The Tipping-Point, Blink, The Outliers).
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 16:24

Excepto se fores gaja....se fores gaja e gira, tens que trabalhar o dobro para seres levada a sério!
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 26.08.2015 às 16:27

Sim, nisso tenho que forçosamente concordar que, por vezes, a vantagem se torna uma desvantagem. Para ser levada a sério, tenho que trabalhar o dobro que qualquer outro colega meu (homem) e o triplo, se a avaliação for feita por outra mulher.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 16:40

Lá está! Mas porque é que as mulheres são umas cabras umas prás outras?
Perdi agora um concurso, passei em todas as fases internacionais (com homens), chega a coisa a Portugal, reunião com uma gaja....e ela escolhe (e estamos a falar de uma marca 100% masculina), um gajo....gay!
Mas ainda me vou rir com o resultado da coisa!
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 26.08.2015 às 16:50

Há mil e uma explicações, nenhuma suficientemente satisfatória.
Por três vezes sofri na pele, de forma concreta, o facto de ser mulher.
A primeira foi na minha primeira entrevista de emprego, em que o entrevistador (homem cinquentão) me perguntou se queria ter filhos.
A segunda foi quando fui convidada para um simpósio, num congresso, pelo meu trabalho científico. Quando cheguei lá, o chairman que me convidou, achava que eu seria homem por causa do tema (comportamentos sexuais) e por causa da qualidade. Tive vontade de me levantar e vir embora.
A última, foi há umas semanas, numas provas de doutoramento, em que o presidente do júri se referiu a todos os colegas como professores doutores (os homens) e as mulheres (eu e uma colega minha) como as colegas X e Y. Furou o protocolo todo, porque sendo mulheres (e mais novas) não merecemos o mesmo tratamento que os outros!

Desta vez, assim que terminou o júri disse-lhe que para a próxima, mais valia tratar-me pelo meu diminutivo, pelo menos, soava a maior intimidade. Ficou piurso, mas no júri seguinte já fui tratada de forma idêntica aos restantes elementos.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 16:57

Compreendo-te perfeitamente.
Porque é que tu achas que me chamam "a rainha do gelo"?
E, então quando sabem que eu fui modelo, a coisa piora (apesar de eu ter largado aquilo assim que entrei para a faculdade), levas logo com um rótulo, és mulher, és gira, tás tramada! Como é que se resolve o problema? É seres exigente e seres melhor que toda a gente. Mas seres exigente...ficas logo com o rótulo de cabra!
Imagem de perfil

De Fatia Mor a 26.08.2015 às 17:04

Eu sei que os meus alunos me têm em elevada estima e me chamam muitos nomes quando vêem a pauta!

Eu sou conhecida por ser de poucas palavras. Mas quando me pronuncio, normalmente nunca faço muitos amigos...
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 26.08.2015 às 17:16

Lá está! Todas as grandes mulheres da história universal eram umas cabras....excepto a Madre Teresa.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.08.2015 às 09:59

Esta última frase resume tudo :)
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 27.08.2015 às 11:54

é tipo aquelas gajas que defendem mulheres com "corpos reais", mas secretamente todas elas queriam caber num tamanho S!
Imagem de perfil

De Gaffe a 27.08.2015 às 11:03

A Madre Teresa era uma cabra.

Comentar neurose



Neuroses

Neuroses

Fovias

Manias

Insonias

OS OUTROS BLOGS



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.