Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Coincidências estranhas...

por Neurótika Webb, em 12.06.15

A Gaffe faz um comentário ao meu post do Boris Vian, com a letra de uma música deste autor, que também é uma das referências do jazz françês:

 

"J´suis snob... Foutrement snob
Tous mes amis le sont
On est snobs et c´est bon
(...)
C´est dans les p´tits détails comme ça
Que l´on est snob ou pas
J´suis snob... Encor plus snob que tout à l´heure
Et quand je serai mort
J´veux un suaire de chez Dior!"

 

E vejam bem o que eu estva a fazer:

 

dior.png

 

O download da colecção de Primavera/Verão!

publicado às 15:05


14 diagnósticos

Imagem de perfil

De Gaffe a 12.06.2015 às 15:39

Não é a primeira vez que acontece.
É mais frequente do que pensas eu ir, directa ou indirectamente, de encontro ao que os outros estão a fazer.
É um bocadinho assustador, mas depois passa.
;)
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.06.2015 às 15:54

acredito, mas não deixa de ser curioso.
Imagem de perfil

De Gaffe a 12.06.2015 às 16:21

Deve ser por ser ruiva.
As ruivas desde tempos imemoriais que são suspeitas e assustadoras.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.06.2015 às 16:33

ahahaha...a sério?
eu sou ruiva...faço o sacrilégio de pintar o cabelo de preto...mas esta pele branca rosada, e as pestanas completamente russas denunciam-me!
Imagem de perfil

De Gaffe a 12.06.2015 às 16:39

Não digas tolices!

Pintas o cabelo ruivo de preto?!?!?!?!

Valha-te Deus! Vais directa para as labaredas do Inferno.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.06.2015 às 16:43

O meu ruivo não é o ruivo cenoura...que é lindo...é aquele louro arruivado, que os ingleses chamam strawberry blond.
Herdei o cabelo da minha avó holandesa, mas ela tinha olhos cinzentos..os meus são castanhos.
No ano passado tentei outra vez voltar ao ruivo, mas fico com um ar deslavado e ninguém gostou!
Imagem de perfil

De Gaffe a 12.06.2015 às 17:06

Também sou muito muito branca e tenho sardas. Sobretudo no Verão, com o sol.
O meu cabelo é ruivo, mas tem uma cor mais densa do que a cor de cenoura.

E criança era o horror! Chamaram-me "fósforo" até descobrir que os fósforos se incendeiam e queimam os dedidnhos aos meninos e às meninas que com eles brincam.
Imagem de perfil

De Neurótika Webb a 12.06.2015 às 17:29

ahahaha....cabeça de fósforo...essa ficou-me colada no colégio.

em adolescente usei um creme da farmácia para o pano da gravidez para acabar com as sardas...mas vem o sol e é uma desgraça...sardas no nariz, sardas nos lábios, sardas nos braços...acho que só se safaram as pernas...

e sol é sinónimo de escaldão. bronzeado, nunca na vida consegui atingir tal coisa, apenas uma sucessão de avermelhados dolorosos!
Imagem de perfil

De Gaffe a 12.06.2015 às 21:08

Uma ruiva jamais se bronzeará.
O meu nariz e as minha bochechas ficam todso às bolinhas sardentas.
As sardas aparecem-me até no peito (tenho de ter imenso cuidado a teclar isto...)
Imagem de perfil

De oBomIdiota a 13.06.2015 às 01:00

Vinha aqui dizer qualquer coisa, mas depois de esta conversa toda reparei que não tinha nada para dizer por isso, deixo aqui uma receita de arroz de pato:

Ingredientes
1 pato
1 cebola e meia
1 dente de alho
0,5 dl de azeite
2 folhas de louro
2 cravinhos
5 grãos de pimenta preta
3 chávenas de chá de arroz agulha
1 chouriço de carne de boa qualidade

Modo de preparação
Limpar bem o pato e tirar-lhe todas as gorduras.
Levar ao lume uma panela com bastante água e, quando começar a ferver, deitar o pato, juntamente com os grãos de pimenta, 1 folha de loureiro, o cravinho e meia cebola com casca.
Temperar com sal. Se for feito na panela de pressão, a cozedura demora cerca de 30 minutos.
Caso contrário, demora cerca de 1,30h e poderá ter de se acrescentar água ao caldo, conforme este for reduzindo.
A meio da cozedura, juntar metade do chouriço de carne.
Quando estiver cozido, retirar do caldo, reservando-o.
Deixar arrefecer o pato e desfiá-lo, descartando a pele.
Partir o chouriço cozido, em pedacinhos.
Retirar do caldo a película de gordura que se forma à superfície e reservar.
Levar a cebola picada ao lume juntamente com o azeite, o alho, a folha de loureiro.
Quando a cebola começar a caramelizar, juntar o arroz e ir mexendo para não pegar.
Quando começar a ficar com os bagos esbranquiçados, juntar o caldo onde cozeu o pato, devidamente coado num passador, na proporção do dobro da quantidade de chávenas do arroz, mais uma, isto é, se foram 3 chávenas de arroz, deverão ser 7 chávenas de caldo.
Se este não for suficiente, completar com água.
Deixar o arroz levantar fervura, mexer e deixar cozer 7 minutos.
Num tabuleiro de ir ao forno, deitar metade da quantidade de arroz, espalhar por cima o pato desfiado e os pedaços de chouriço cozido e cobrir com o restante arroz.
Enfeitar com a outra metade de chouriço cru, que entretanto se partiu às rodelas.
Verter por cima a gordura que se havia tirado da superfície do caldo.
Levar ao forno a 200ºC cerca de 20 minutos, até o arroz ficar lourinho.
Bom proveito
Imagem de perfil

De Gaffe a 13.06.2015 às 21:32

Tanto trabalho!
Convide-me para jantar fora.
Imagem de perfil

De Gaffe a 14.06.2015 às 22:21

Depende da paisagem.
Imagem de perfil

De oBomIdiota a 16.06.2015 às 13:30

A de minha casa é bonita

Comentar neurose



Neuroses

Neuroses

Fovias

Manias

Insonias

OS OUTROS BLOGS



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.